PISTAS PARA O TESOURO

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

O mundo debaixo da mesa

Tomé ficou estupefacto quando, ao entrar na sala de jantar onde a família estava reunida diante de uma deliciosa refeição, viu a perna da irmã estendida por debaixo da mesa e o seu pé descalço a acariciar uma perna que não era do seu amado marido. A dita cuja pertencia a uma prima quarentona e solteira, um mulherão cujo decote e traseiro empinado costumavam deixar os homens a salivar. O mais espantoso era o discreto olhar cúmplice com que o cunhado de Tomé acompanhava a situação. Nunca observara qualquer sinal que indiciasse uma situação daquelas. Era como se, afinal, não conhecesse aquelas pessoas que, no entanto, lhe eram familiares há muitos anos. Debaixo da aparência com que a vida se costumava apresentar havia um mundo inteiro diferente. “Vivendo e aprendendo”, pensou Tomé enquanto ocupava o seu lugar à mesa e se servia de um pouco de vinho.

11 comentários:

  1. Gosto dos seus textos pois eles trazem situações, momentos... Aprecio muito este tipo de leitura.

    Parabéns,

    Léo

    ResponderEliminar
  2. De facto um texto que dá para pensar...

    Obrigada pela visita!
    Beijoca *

    ResponderEliminar
  3. será que aceitariam mais uma perna?!...(rsrs)
    Beijos no coração, meu amigo!
    Uma linda sexta-feira para ti!!

    ResponderEliminar
  4. debaixo da mesa todos os segredos se revelam e nem é necessário palavras.

    ResponderEliminar
  5. Na realidade nunca conhecemos por inteiro uma pessoa... não só porque cada pessoa tem várias facetas, como cada um vê-nos de uma forma, como só damos a conhecer o que interessa dar a cada pessoa, como ainda vamos mudando ao longo da vida...
    Todos nós somos verdadeiras caixas surpresa...

    ResponderEliminar
  6. Por vezes o melhor é fingir que nem vimos nada...
    Beijo d'anjo

    ResponderEliminar
  7. debaixo da mesa não se usam máscaras...e mesmo debaixo das máscaras tudo está ali, para quem puder enxergar.

    beijos, Jaime!

    ResponderEliminar
  8. Ficou foi com inveja do cunhado, que na volta andava a papar as duas.

    ResponderEliminar
  9. Se o vinho for bom, educa, se não, ele fica na mesma...

    ResponderEliminar
  10. continua, CONTINUA!!!
    :)
    bem haja!

    de volta à blogosfera com novo post em

    http://forcanamaionese.blogspot.com

    ResponderEliminar