PISTAS PARA O TESOURO

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Desejo morto

As dores da doença e o enjoo provocado pelos tratamentos tinham-lhe matado o desejo. Tentou convencê-lo a ir para a cama com outra mulher, mas não conseguiu: ele recusava em silêncio e impedia-a de insistir acariciando-lhe os lábios com os seus dedos longos de pianista. Essa recusa encheu-a de lágrimas e ternura e multiplicou o amor que sentia por ele, mas foi insuficiente para reacender o desejo no seu corpo massacrado pelo sofrimento. Sabia que ele precisava de sexo quase tanto como ela precisava dos comprimidos para as dores (antes de adoecer faziam amor três ou quatro vezes por dia) e observava uma certa agitação e tensão nos seus gestos, escondidas atrás da atenção e solicitude constante que ele lhe dedicava.
Pediu para ele se deitar ao lado dela na estreita cama do quarto privativo da Clínica Oncológica. Acariciou-lhe o peito peludo com carinho, mas sem o frenesim insaciável de outrora. Depois a sua mão percorreu o caminho que tão bem conhecia e foi acariciar o surpreendido e flácido pénis. Apesar do inicial protesto dele, o membro tão esquecido e negligenciado nas últimas semanas reagiu prontamente com uma compacta erecção. A sua mão magra, mas não esquecida da antiga sabedoria, desapertou rapidamente os botões e tirou o animal renascido para fora. Não olhou, para não aumentar ainda mais a mágoa e a culpa desesperada que a ausência de desejo a faziam sentir. Fez os movimentos que a memória das acções passadas lhe recomendou e, apesar da sua falta de calor, foi bem sucedida. O pénis inchou de excitação na sua mão fechada e pouco depois recompensou o seu esforço com uma abundante ejaculação, acompanhada de um crescendo de gemidos de prazer.
“Obrigado”, disse ele com uma pontinha de vergonha, enquanto limpava o esperma com uma toalha. “Obrigada eu, meu amor! Obrigada por existires!”, respondeu ela.

26 comentários:

  1. JPiedade, cada palavra lida como um gole em copo de água morna num dia de calor como hoje. O bom te ler, mas o nó no estômago que me provocas é um misto secreto.
    Beijo

    ResponderEliminar
  2. prazer em conhecer o teu blog!

    heduardo

    ResponderEliminar
  3. Pequenos prazeres que criam momentos intensos!
    O importante é sentir!
    Beijo doce

    ResponderEliminar
  4. Olá!
    Obrigada por visitar o blog... O teu, vou conhecendo aos poucos. Mas já pude sentir a mistura de sentimentos. Vou lendo-te...

    Abraços!

    ResponderEliminar
  5. Senti intensamente cada palavra, cada sensação, cada sentimento por ti escrito|

    Gosto do teu canto, irei passar mais vezes... para repousar no encanto das tuas histórias!

    ResponderEliminar
  6. Dois lados que se misturam, o prazer e a doença. Gostei do texto, muito bom.

    ResponderEliminar
  7. Bonita esta junção de dor com prazer...

    ResponderEliminar
  8. Boa noite,muito obrigado pela visita meu querido.
    Li seu texto com atenção,uma ligação bastante forte entre a dor e o prazer além de outrora saudades de um tempo exitante q já ñ volta mais.Uma mistura perfeita.
    Parabénsssssssss.
    Beijokas.

    ResponderEliminar
  9. extremos, paralelos tudo sempre muito parecido... amor e dor... prazer e desamor...

    bj

    ResponderEliminar
  10. Dor, prazer, angústia... sensações misturadas, onde tudo fica em segundo plano, até o sofrimento, quando o carinho, o querer bem é tão intenso!

    TEnha uma boa noite,
    bjo.

    ResponderEliminar
  11. belo texto...
    esta mistura da muito o que falar e sentir.
    bjos.

    ResponderEliminar
  12. ... aí está uma prova de amor e cumplicidade ... que tanto falta nos dias de hoje ... sexo por sexo e nada mais ....

    beijo , foi lindo

    ResponderEliminar
  13. Gosto da tua escrita. É reconfortante. E tudo se consegue, basta querer...

    Beijo
    Já sou fã.

    ResponderEliminar
  14. Hum... sabes que tudo tem dois lados. O belo junta-se ao menos belo facilmente.

    ResponderEliminar
  15. Profunda a experiência entre prazer e dor.
    respectivamente, àpice e Precipicio.

    Obrigado pelo gracioso comentário.
    Estou seguindo.

    abraços.

    ResponderEliminar
  16. A FORMA COMO É DESCRITO DESPERTA-ME UMA SENSAÇÃO DE TERNURA...DE PARTILHA,DE COMPANHEIRISMO,DE AMIZADE ENTRE DUAS PESSOAS QUE APESAR DA DOENÇA CONSEGUEM TER MOMENTOS ÍNTIMOS E MUITO INTENSOS.

    BEIJO

    ResponderEliminar
  17. Olá, amigo!
    Passamos para deixar um aviso que há um presente para você em nosso blog: um selo.
    É uma forma de dizer-lhe o quanto gostamos da qualidade de seus texto e de que sempre estamos por aqui.

    Lia e André

    ResponderEliminar
  18. Escrita mediocre, só deve ler livros porno.
    Este comentário é de um ou uma das merdas que comentam blogues, onde apenas sentimentos se descrevem.
    Você não sabe mesmo escrever, histórias muito vistas em filmes, mas com um argumento MAU.

    ResponderEliminar
  19. Anónimo:
    Medíocre é aquele que tem alma pequena, e olhe que a sua, ninguém a vê a olho nu. Tenho pena de si, que o mais certo será terminar a vida como um simples mortal, e não ter ninguém que lhe passe a mão pela cabeça. Morrer é triste para muitos, mas pior é morrer sozinho.



    P.S.-Eros, Parabéns pela escrita uma vez mais.

    ResponderEliminar
  20. Que bom que me encontrou...
    Por isto cheguei aqui!
    Sinceramente, és um grande artista!
    Belissimo texto, uma realidade viva transformada em uma dança sincronizada de palavras!
    Adorei, de verdade!
    Quero voltar, então não esqueça do meu simples espaço, que recebeu se suas mãos versos que guardarei com todo carinho!
    Beijo
    Amizade
    T I N I N

    ResponderEliminar